O Diálogo pode ser o Caminho – Com o Psicólogo Luiz Henrique Miranda

Gostaria de retomar sobre um tema muito falado, mas também ainda
necessário nos dias de hoje. Os cuidados com nossa saúde, mas ainda com
nossa saúde mental, antes, durante e a avistar pós pandemia!

Todos estamos vivendo tempos de mudanças, desde o início em que fomos
pegos de surpresa por esse vírus chamado de novo corona vírus (Sars-Cov-
2).
Alteramos nossas rotinas de trabalho, entretenimento, lazer e de cuidados
pessoais.

Tão recente, pensamos que voltaríamos para nossas atividades de forma
rápida, mas sabemos que isso ainda é algo a questionar, ainda mais pela
importância do isolamento e também do que temos escutado e assistido
nas mídias e canais de imprensa, como o aumento dos casos de contágios,
óbitos e consequências da própria doença.

 

AS MAMÃES SÃO SUPER HEROÍNAS?

Todos esperamos ansiosos por uma vacina eficaz contra o vírus, mas até
que isso aconteça, precisamos tomar os devidos cuidados através das
recomendações médicas.

Porém, além de falar do que está presente e vigente em nosso dia a dia,
trago aqui uma pergunta muito importante, como vocês Mamães tem sido
afetadas com tudo isso?

Como tem sido para as Mamães que estão às voltas com os cuidados com
os pequenos lidar com o afastamento de familiares, de seus empregos; e
aquelas que precisam ainda trabalhar: se afastar de seus filhos/filhas em
alguns casos?

Mas ainda, ter que pensar no isolamento e como é preciso se proteger para
também proteger os próximos. Isso te preocupa?

 

MAMÃES CONECTADAS, PORÉM PREOCUPADAS?

As Mamães que leem o blog devem também acompanhar os noticiários e as
headlines compartilhadas pela internet, buscando por informações mais
precisas e seguras.

De fato, isso nos traz alento.
Mas compreendo que também visualizar tantas informações, e ser
atravessado por mudanças (ultimamente constantes) como as regras de
isolamento e retorno, traz também inseguranças diversas.

Se pensa no retorno das creches, escolas, shoppings, clubes.
Mas também se estes estariam seguros para isso
Tem se pensado no comércio, na manutenção da economia, mas pra quem
trabalha, está sendo fácil sair e estar em contato com outras pessoas?

Sair de casa mesmo que seja para ir ao banco ou supermercado. Ufa!

Que
aflição.
Um suspiro.

 

NOSSA SAÚDE MENTAL É MUITO IMPORTANTE

No último texto, escrito no blog, disse sobre alguns tipos de demandas que
chegam até nós, profissionais da Psicologia.
Muitas delas tem se acentuado, nessa pandemia, e outras (novas) também
tem aparecido.

O que cada um sente, é muito particular, alguns conseguem lidar com
algumas situações sozinhas, outras dependem do auxílio de outras pessoas.
Quando somos afetados por situações adversas, muitas vezes, ficamos
inseguros e angustiados. E mesmo com o apoio de amigos e parentes,
necessitamos também de um apoio profissional.

É importante saber que procurar um profissional da Psicologia, também se
torna um cuidado indispensável que precisamos ter com nós mesmos.
Nossa saúde está interligada por aspectos físicos, emocionais, relacionais e
afetivos. E a psicologia se interroga sobre isso!

 

MAMÃES QUE SE CUIDEM, POIS NECESSITAMOS DE VOCÊS

Um olhar direcionado para as Mamães, é algo também primordial nesse
momento da pandemia.
Mamães multitarefas, que cuidam dos filhos, da casa, dos parceiros, de
trabalho.

Mamães: Tá tudo bem por aí?

Como é que isso tudo tem afetado vocês?

Como é também lidar com o cuidado necessário a vocês enquanto
mulheres. Vocês tem tido esse tempo?

Gostaria, ao escrever nesse blog, de ter o retorno de vocês quanto a esses
fatores que citei já em textos anteriores:
– A gravidez
– O parto
– Os cuidados com o bebê e filhos maiores
– O casamento ou separação
– Os relacionamentos
– As mamães solos

– As preocupações e dilemas
– As perdas e os lutos

 

COMO POSSO ME SENTIR BEM?

É verdade que com tantas mudanças acontecendo, a cabeça fica a mil.
Ficamos desnorteados e confusos.

Mas poder vislumbrar um futuro e ter um amparo para seguir adiante, é
primordial.

As Mamães também se preocupam, se questionam, sofrem, choram, vivem
uma mistura de sentimentos.

Hoje, se eu pedir para você nesse momento do texto, olhar para si, você se
vê tranquila?

MANHEEEEEEÊ!!! Ô MÃE!!!
Quantas vezes em momentos de apuros, queremos chamar por nossas
Mães.

Quantas vezes queremos um abraço e um colo, para nos sentir bem?

Quantas vezes choramos, quando pequenos e aquelas que estiveram ali
presentes foram essas importantes mulheres.

Mas pensemos agora, será que para além dessas imagens e boas
lembranças, estavam elas sempre seguras de si? Estavam tão bem e
“fortes”?

 

UM LUGAR DA DIFERENÇA: A MÃE E A MULHER

Como perguntei: vocês mamães, estão cuidando como de si mesmas?

E esse cuidado que por ora é dedicado aos filhos, vou insistir é também
dedicado a vocês?

Vocês tem tempo para um descanso?

Tem aproveitado as companhias diversas (longe dos filhos), os momentos
de casais, com amigos e das confidências tão necessárias para as relações?

São perguntas que gostaria que mesmo que esse nosso diálogo não seja
presencial, pudesse trazer uma reflexão para que vocês avaliem como está
o cuidado e olhar para si.
O que você Mamãe queria antes da pandemia?

O que pôde fazer e
continuar adiante?

E o que foi deixado de lado?

Tudo isso traz ou acarreta algum tipo de sofrimento? De dor? De angústia?

Às vezes, é preciso falar que não está sendo fácil. E temos possibilidade de
reconhecer nossos limites, ou até mesmo, nossos avanços.

Vamos conversar mais sobre isso Mamães? Fico aguardando o retorno de
vocês.

Gosto, ao escrever o texto, de pensar que posso ajudar mesmo a distância
alguma de vocês, pois isso faz parte do meu trabalho. E não vejo melhor
forma do que pelo diálogo e também pelas perguntas.
Como eu bem disse, cada uma pode falar melhor de si e daquilo que lhe é
muito particular. E pode tentar ao ler texto, refletir.

Espero que essa leitura também possa ser leve, diante de tantas outras
informações. Diante de tantos outros dilemas do cotidiano.

Por isso hoje, o propósito é ter nossa conversa de modo descontraído, mas
através um diálogo produtivo.

Comprometido pelo que requer bem esse cuidado, e responsável já que
cuidar de si tem que ser levado a sério!

Fala sério Mãe! Você tem cuidado bem de si? Tem se atentado a suas
necessidades e prioridades?
Podemos compartilhar mais sobre isso? Nos encontramos por aqui…

 

psicólogo infantil

Luiz Henrique Miranda
Psicólogo Clínico
Pós Graduado em Saúde Mental
CRP 04/46378

 

[email protected]

Instagram 

Tudo o que não te contam sobre o Pós-Parto da Cesárea

POS PARTO CESÁREA

 Afinal, como é de fato o pós-parto da Cesárea? 

Neste artigo, eu irei contar todos os detalhes de como foi o meu pós operatório. Além disso, eu separei algumas dicas que podem ajudar muito a enfrentar esse momento de uma maneira mais leve e saudável.

 

Pós-Parto

O pós-parto é sempre uma fase delicada para nós Mamães, e exige muitos cuidados.

Sendo o suporte da família nesse momento, fundamental para uma boa recuperação da puérpera.

E quando se trata de um Parto Cesárea, o pós-parto pode ser mais delicado ainda, e irá exigir mais não só da Mãe, como do(a) acompanhante também.

Acredito que cada mulher tenha um processo de cicatrização e recuperação diferente, afinal são corpos, hábitos alimentares, estilo de vida, e saúde distintos, e por isso fica muito difícil compararmos umas às outras.

 

Minha experiência com o Parto Cesária

No meu caso, eu gostaria muito de ter tido um parto normal, e nem cogitava a possibilidade de ter um parto cesárea.

Por inúmeros motivos, mas principalmente por influência da minha Mãe Dulce, que teve dois filhos de parto normal, e apesar de “ter o quadril estreito” como ouço muitas pessoas dizendo ser um empecilho, teve dois partos vaginais sem muito problema.

E por esse motivo, além de ser Bailarina Profissional e ter estudado todas as posições possíveis(e impossíveis) para um parto natural e humanizado, acreditei que comigo não seria diferente e não me preparei para um plano B, um parto cesárea, e fui pega de surpresa.

O post de hoje é um Relato em forma de vídeo, de como foi o meu pós-parto, após 20 horas tentando um parto normal e tendo que recorrer à um parto cesárea.

 

A minha dica:

Estudem todas as possibilidades de parto, tenham um plano A,B,C e se possível D, pois a gestação é marcada por muitas surpresas e o parto é só o começo de uma jornada que será para a vida inteira, e não somos nós quem escolhemos o jeito que os nossos bebês querem vir aqui para a Terra e sim Deus.

Vejo muitas histórias de Mães que já tinham marcado a data da Cesariana e o bebê resolveu vir antes de parto normal. Assim como pode acontecer o inverso, que foi o meu caso.

 

Pós-Parto Cesárea

 

No vídeo de hoje, temos uma convidada mais que especial, que é a minha Mãe Dulce (ela acompanhou todo o processo de pertinho) e juntas nós explicamos como foi o meu pós-parto, damos dicas para as Mamães, além de contar todos os desafios enfrentados durante essa fase. Espero que esse vídeo possa clarear a mente de vocês e ajudar de alguma forma. Não perca e compartilhe com outras Mamães! Assista!

E não esqueça de se inscrever no nosso Canal, (você estará nos ajudando muito!) e ativar o sininho de notificações para ficar por dentro dos próximos vídeos!

 

CLIQUE NO PLAY E VEJA> RECUPERAÇÃO DO PÓS-PARTO CESÁREA – TUDO O QUE VOCÊ PRECISA SABER!

 

Gostou do post? Deixa um comentário eu vou adorar te responder.

Beijos,

Deborah

Barriguinha dos Sonhos: Veja 4 Formas de Evitar Estrias durante a Gravidez

estrias na graviedz

Nesse artigo você irá encontrar as melhores formas de como evitar as indesejáveis estrias, que são muito comuns em mulheres, especialmente durante a gravidez.

 

Mamãe! Parabéns! Você está grávida!

Nesse artigo você irá encontrar dicas de como evitar estrias durante a Gravidez

A gravidez é um momento muito único na vida de uma mulher, e é comum nesse período o corpo passar por algumas transições, afinal você está gerando uma vida não é mesmo?

Uma das características mais comuns dessa fase é sofrer com o aparecimento das indesejáveis estrias.

 

Salve esse pin para ler mais tarde!

como evitar estrias durante a gravidez

 

 

 

De acordo com estudos, 59,8% das mulheres tiveram estrias durante a gravidez, sendo a maior parte delas jovens.

“ O mecanismo fisiopatológico das estrias é incerto, mas pode estar relacionado com estiramento da pele, que causa lesão nas microfibrilas das fibrilinas, as quais, nas mulheres mais jovens, poderiam ser mais frágeis e, portanto, mais susceptíveis a ruptura.”

 

 

O surgimento da estria está diretamente relacionado ao estiramento da pele e pode ocorrer devido à diversos fatores, podendo ser mais encontrada em partes do corpo como:

  • bumbum
  • Barriga
  • Seios
  • Quadril

Para evitar as estrias durante a gravidez é muito importante que você procure tomar certos cuidados que iremos citar ao decorrer desse artigo, lembrando sempre de tirar todas as suas dúvidas com um Médico.

O cuidado com a pele durante a gravidez é essencial, e a atenção deve ser redobrada durante os últimos meses de gestação, quando o bebê já está mais desenvolvido e a tendência é a barriga “esticar” mais.

 

 

Veja também: Ensaio de Gestante – As Melhores Dicas e Idéias de fotos para Gestante

 

Como evitar estrias durante a gravidez?

 

 

 

1 – Beba água

 

 

Já sabemos os inúmeros benefícios da água, e durante a gravidez o recomendado, de acordo com a Sociedade Brasileira de Alimentação e Nutrição, é que a gestante tome 3 litros de água por dia, e as lactantes 3,8 litros, o que daria em média de 10 à 13 copos de água por dia.

A água além de eliminar toxinas, tem o poder de deixar a pele hidratada, mantendo a elasticidade e tonicidade durante mais tempo, evitando dessa forma o ressecamento e o aparecimento de estrias.

A dica é deixar sempre uma garrafinha de água perto de você e se possível colocar um lembrete no seu celular para que você lembre de beber água com frequência.

 

 



 

2.Faça exercícios

 

 

Outro fator que aumenta a probabilidade do aparecimento de estrias durante a gravidez é o ganho de peso muito rápido.

Sabemos que é comum durante essa fase a mulher ter desejos e deixar a dieta de lado, contribuindo para o ganho de peso substancialmente. Por esse motivo, uma ótima forma de manter o corpo é fazendo exercícios leves.

( Converse com o seu Médico e veja a atividade ideal para você.)

 

 

Dica: As opções que eu mais indico são dança, caminhada e hidroginástica: 

  • A dança traz diversos benefícios para a gestante, tanto psicológico quanto físico, e ajuda a manter o corpo de uma forma divertida, funcionando como uma espécie de terapia.
  • A caminhada é uma ótima forma de manter o corpo, e distrair a mente. 15 minutinhos por dia é o suficiente para que você se sinta melhor com o seu corpo e mais alegre durante o seu dia.
  • A natação/hidroginástica pode ser uma ótima aliada da gestante durante essa fase. É muito comum que a mulher se sinta mais cansada durante a gravidez, especialmente durante os últimos meses de gestação, devido ao peso da barriga. Por isso, uma ótima forma de se exercitar e não sentir tanto o peso da barriga é fazendo hidroginástica ou nadando, dentro da piscina, ou na água do Mar. Você irá se sentir leve como uma pluma dentro da água! Alimentação Saudável Rica em Nutrientes

 

 

Veja também: Ensaio de Gestante – As Melhores Dicas e Idéias de fotos para Gestante

 

3. Tenha uma Alimentação Saudável Rica em Nutrientes

É de extrema importância que a gestante tenha uma alimentação saudável durante esse período, para que o bebê se desenvolva de uma forma saudável. Por isso, tenha uma alimentação saudável rica em nutrientes com:

  • vitamina C
  • Vitamina D
  • Zinco
  • Ferro
  • Vitamina E
  • Proteínas
  • Ferro

De acordo com estudos, uma dieta que contenha esses alimentos que iremos mostrar a seguir, é completamente equilibrada, oferece todos os nutrientes básicos , e tem se mostrado eficaz  na prevenção do excesso de peso na gravidez.

 

 

dieta rica em nutrientes para graidez

Café da manhã (ao acordar) Café da manhã (ao acordar)

– Leite e/ou derivados;

– cereais (pães, flocos de cereais);

– frutas.

 

Almoço e jantar (duas vezes ao dia)

-Cereais (arroz, milho, trigo, etc.);

– leguminosas (feijão, ervilhas, soja, lentilhas, etc.) ou raízes/bulbos (batata, mandioca, etc.);

– um alimento de origem animal (carne e derivados, leite e derivados ou ovos);

– salada de vegetais crus ou pouco cozidos, principalmente os verde-escuros.

 

Lanches (duas a três vezes ao dia)

 

Pequenas refeições que devem ser realizadas nos momentos de fome entre o café da manhã e o almoço, entre o almoço e o jantar e após o jantar

Frutas ou sucos de frutas, pão e cereais, leite ou queijo ou iogurte.

 

 

 

4.Cuide-se

 

As estrias durante o segundo e terceiro trimestre são mais comuns, devido ao grande estiramento da pele. Por isso, é importante que você fique atenta ao aparecimento delas, e  trate-as desde cedo, pois uma vez que elas se tornem brancas, será muito mais difícil para removê-Las.

À seguir, fizemos uma lista para você ficar por dentro dos produtos que são os “queridinhos” das gestantes e puérperas

 

 

Cremes e Óleos para evitar estrias durante a gravidez

 

1.Creme Prevenção de Estrias Mustela Para Gestantes, com Ativos Naturais e Patenteados, 150 Ml, Mustela Maternité, Vermelho, Médio/150 ml

 

 

 

2.Creme Corporal Para Gestante, PAYOT, Branco

 

 

3.Óleo Prevenção de Estrias para Gestantes de Rápida Absorção, Mustela Maternité, Vermelho, Médio/105 ml

 

 

4.Kit Creme Hidratante Loção Corporal Preventiva Anti Estrias Gestante Labotrat

 

 

5.Palmer’s Cocoa Butter Reafirmante de Busto 125g

 

 

 

 

5.Bio Oil Óleo para cuidado da pele, 125 ml

 

 

 

 

Espero que vocês tenham gostado das dicas de como evitar estrias durante a gravidez !

 

Veja também: Ensaio de Gestante – As Melhores Dicas e Idéias de fotos para Gestante

 

 



Enxoval de Bebê – 12 Produtos que não podem faltar na sua lista!

enxoval de bebÊ

Enxoval de Bebê – 12 Produtos que não podem faltar na sua lista!

 

Esse é um assunto, que sempre gera bastante dúvida entre as Mamães de primeira viagem:

 O que realmente eu vou precisar nos primeiros meses?

 A minha dica, é você comprar de acordo com a necessidade, pois só assim poderá avaliar o que você e o seu bebê realmente precisam ou não, durante os primeiros meses da Maternidade.

 

quarto de bebê

 

 

Por esse motivo, separei os 12 produtos que não podem faltar na sua lista de bebê!

 

(esse post contêm links de afiliados)

 

 

1.Carrinho de Bebê

carrinho de bebê

 

2.Bebê Conforto

bebê conforto

3.Bolsa Maternidade

bolsa maternidade, mochila maternidade

 

 

4.Ninho Redutor

ninho redutor berço

 

 

5.Berço

berço,berço de bebê,berço portátil, brço portátil bege

 

 

6.Sling/Canguru Ergonômico

canguru  bebê, canguru ergonômico

 

 

7.Almofada de Amamentação

almofada de amamentação

 

 

8.Bomba de tirar leite

bomba de tirar leite, bomba de tirar leite manual

 

 

9.Manta

manta para bebê

 

 

10.Kit Higiene Bebê

kit higiene bebê

 

 

11.Banheira

banheira de bebê

 

 

12.Toalha de bebê

toalha de bebê

 

Crie sua lista de bebê na Amazon  e ganhe 10% de desconto na compra de produtos elegíveis até 1 ano após o nascimento do seu bebê.

 

Espero que tenham gostado da minha lista !

 

 

Confira mais Produtos que você irá precisar aqui.

Parto Normal Humanizado pelo Plano de Saúde? SIM!

relato de parto normal

O Relato de Parto de hoje, é da Liana.

Ela é Professora de Dança, e nos conhecemos através do Zouk. Tive o prazer de acompanhar de perto sua gestação, e sempre conversávamos sobre o quanto queríamos ter um Parto normal humanizado, e o quanto estava sendo difícil achar um Médico no Rio de Janeiro, através do Plano de Saúde, que não fosse Cesarista. 

 O Relato de Parto da Li, é uma esperança de que, ainda é possível sim, ter um Parto Humanizado pelo Plano de Saúde.

 

 

 

relato de parto

 

 

  • Leia: Relato de Parto – Cesárea

 

 

Nascimento de Clara

” A dor é inevitável, o sofrimento é opcional.”

Desde o dia 26/10 meu corpo e Clara estavam mostrando sinais de amadurecimento, logo pela manhã perdi bastante quantidade de tampão, fiquei radiante na esperança de já serem indícios de que o encontro com a minha filha estava próximo!

No domingo fomos à praia, segui perdendo tampão ao longo do dia, e fomos ficando cada vez mais animados. Na segunda acordei com aquela cólica de menstruação bem chatinha… Em paralelo a esses acontecimentos, meu marido me diz que se Clara nascer após dia 01 de novembro, ele iria perder a licença paternidade de 20 dias pois já tinha férias marcadas pro dia 4 de novembro.

Foi então que resolvemos induzir o parto. Liguei pra médica na segunda dia 28, na hora do almoço e ela pediu que eu internasse às 15h… Eu não estava nem um pouco preparada psicologicamente pra dar a luz a uma criança naquele dia, mas quem está? Na verdade, nunca estamos…

Cheguei na Perinatal de Laranjeiras por volta das 15h30m, e a cólica chata ia e vinha… À noite a médica chegou, e iniciou a indução com misoprostol às 20h. Combinamos dela voltar às 2h da manhã para o segundo comprimido. Mas… Clara resolveu vir logo e acabar com nossa ansiedade. Estávamos eu e meu marido deitados naquela cama apertada de hospital vendo TV quando eu brinquei — Vamos chamar a Clarinha, amor, para ela vir logo! – E ficamos alisando minha barriga dizendo – Vem Clarinha! –

relato de parto normal

“E então senti a bolsa romper num estalo, uma sensação estranha e aquele aguaceiro molhou a cama toda! Estava acontecendo! E eu não podia estar mais feliz!”

Chamamos a enfermeira que começou a monitorar, fizemos o cardiotoco, tudo normal. Logo começaram as contrações, no início bem tranquilas, dolorosas, mas dava pra aguentar! Logo chegou a médica e fez o primeiro toque, 2-3 de dilatação! Que alegria! Após esse primeiro toque as contrações vieram mais fortes e vinham cada vez mais fortes! Os intervalos começaram a diminuir também, o que estava me deixando sem ar, e eu não conseguia mais descansar entre uma contração e outra, evoluiu rápido demais para uma primípara, estava começando a ficar assustada com a falta de controle com meu próprio corpo, minhas pernas não respondiam, tudo doía demais! Meu marido tinha que me levantar, apoiar, ajudar a andar etc! Fui pro chuveiro, voltei pra cama… não achava posição… veio o segundo toque, 7-8 cm, a dor estava muuuuuuito intensa! Pedi anestesia, e tomei uma pequena dose de peridural.

Fomos para a sala de parto, sob efeito da anestesia, ainda sentia as contrações, porém dava pra suportar melhor… segui tentando achar uma posição confortável, fui pra banheira, fiquei na banqueta, fui pra cama, rebolei na bola Suíça, ficava em pé! Enfim, é maravilhoso poder fazer o que quiser no seu parto! Liberdade de movimentação é fundamental! E essa troca de posições foi ajudando na descida da neném que fez maravilhosamente seu papel sem diminuir a frequência cardíaca nenhum minuto sequer!

Enfim, lá pelas tantas da manhã, a anestesia já tinha passado efeito. Parto estava estagnado, e a médica perguntou se podia colocar ocitocina no meu acesso para voltar a engrenar e eu consenti! E lá vieram as dolorosas e potentes contrações da transição… mais algumas horas depois e pela altura que estava o sonar, já imaginávamos que Clara já podia ser tocada lá dentro, e lá estava ela, quando eu me toquei e senti que ela já estava chegando, Deus me deu ainda mais força. Foi aí que as contrações deram lugar aos puxos! Uma onda que te domina e você simplesmente empurra! Na fisioterapia pélvica eu aprendi a associar a minha respiração com os puxos, e me concentrei para empurrar do jeito certo! Ela coroou! O círculo de fogo é realmente DE FOGO! Como arde! A médica tira uma foto e me mostra pra eu me animar!

 

Começa o expulsivo… Cogitei a possibilidade de anestesia de novo, mas a médica me convenceu de que já estava muito perto e que tinha certeza que eu aguentava mais. Nessa hora vai batendo o desespero pq vc quer que acabe logo e eu comecei a querer fazer força fora dos puxos, e minha médica me puxava a orelha – você está fazendo força fora do puxo Liana? Não faz isso, espera o puxo! – me concentrei novamente para esperar o puxo apesar da dor insuportável que estava sentindo a essa altura.

Meu marido foi meu apoio mais fundamental nessa hora crítica, apoiava nele nos puxos e quando relaxava me jogava com meu peso todo em cima dele! Eu gritava! Ele gritava! A equipe gritava – Vai! Falta muito pouco! Fechei os olhos e ouvi muita movimentação ao meu redor, como se cada um estivesse fazendo algo e se colocando perto de nós! Pensei…. ta muuuuuito perto! A dor estava lancinante, pensei q ia desmaiar várias vezes… me senti como em um transe, fora de mim…

E às 6: 54, de repente, ela saiu, e senti o alívio mais maravilhoso do mundo! Ela veio pros meus braços e com os olhos abertos me olhou, olhou pro pai, olhou pra médica que falou – Bom dia princesa! – e aí ela chorou! Desfrutamos a Golden Hour pelo tempo que eu quis, senti aquela pele macia dela pela primeira vez, abracei, cheirei, tentamos dar o peito, mas ela não conseguiu pegar na hora, só mais tarde no quarto já… Dei ela pro pai, que não se aguentava de tão feliz, ele cortou o cordão. Foi lindo! Foi um parto a três, onde eu, meu marido e Clara formamos um time e cada um fez seu papel e tudo deu certo! Um parto emocionante, cheio de ocitocina, amor e respeito! Com uma equipe maravilhosa que respeitou as minhas escolhas até o fim!

bebê, relato de parto normal

Sim! Existe parto humanizado com plano de saúde!

Obrigada a cada um que fez parte desse nosso momento! Dra Marina Lacerda que orquestrou maravilhosamente cada momento do parto, a pediatra, as enfermeiras e principalmente Deus, quem permitiu que tudo acontecesse do jeito que aconteceu! 

 

 

  • Leia: Relato de Parto – Cesárea

Coronavírus: É seguro amamentar?

amamntação

 

O que é coronavírus? (COVID-19)

 

 De acordo com o artigo publicado no Ministério da Saúde,

“o Coronavírus é uma família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus foi descoberto em 31/12/19 após casos registrados na China. Provoca a doença chamada de coronavírus (COVID-19).”

 

O que fazer para evitar? 

 

1.Lavar bem as mãos é o primeiro passo. ( Se não puder lavar as mãos no momento, passe álcool gel 70%.)

Lave entre os dedos, palma das mãos, em cima das mãos e antebraços. Se estiver usando anel, tire o anel, lave-o, e depois que lavar as mãos, coloque-o de volta.

 

2.Evite lugares aglomerados como shopping, mercados, metrôs, e etc.

 

3.Evite objetos compartilhados. Procure usar tudo descartável se possível.

 

4.Esteja seguro de manter o seu corpo saudável: alimente-se bem, beba bastante água e descanse.

 

5.Evite colocar as mãos nos olhos, boca e nariz.

 

6.Não se esqueça de lavar as mãos do seu bebê e rosto sempre que for necessário, já que eles colocam a mão na boca e rosto com mais frequência.

 

7.Mantenha a vacinação do seu bebê em dia, evitando assim, que ele venha a ter algo mais sério, e necessite de cuidados Médicos, já que os postos de saúde estarão voltados para os casos de Coronavírus.

 

 

O Corona Vírus pode ser transmitido através do leite Materno? 

 

 Por ser uma fase muito inicial, não há estudos suficientes que comprovem que o Coronavírus seja transmitido no leite Materno, de acordo com o infectologista do Hospital Emílio Ribas (SP) Jean Gorinchteyn.  Atualmente, o único vírus atualmente confirmado ser transmitido através do leite Materno é o HIV.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), 

 

“As puérperas, em bom estado geral, devem manter a amamentação utilizando máscaras de proteção e higienização prévia das mãos. A OMS leva em consideração os benefícios da amamentação e o papel insignificante do leite materno na transmissão de outros vírus respiratórios na amamentação, desde que as condições clínicas o permitam.”

Fontes:

https://g1.globo.com/

https://www.saude.gov.br/saude-de-a-z/coronavirus

https://www.who.int/eportuguese/countries/bra/pt/

Relato de Parto Normal em Israel

parto normal

O Relato de Parto de hoje, é de uma grande amiga que a vida me deu. A Rachel, é minha amiga desde os tempos da Escola, quando nos perguntávamos quem seria a primeira a casar e ter filhos. E 15 anos se passaram, ela hoje em dia é Mãe de um casal lindo de filhos e mora em Israel. E é com muito carinho que compartilho para vocês, o Relato de Parto da Rachel.

relato de parto

 

Meu relato de parto:

14/04/2017 sexta-feira às 18:30:
Estava à espera do meu Yonathan, primeiro filho, primeira gravidez e estava prestes a viver a minha primeira experiência de parto e o momento mais emocionante de toda minha vida.

Meu nome é Rachel, tenho 27 anos, moro em Israel a 4 anos e sou mãe de um menino de dois anos e oito meses e uma menina de três semanas.
 Na sexta-feira de manhã do dia 14/04/201, acordei para mais um dia normal, tomei meu café da manhã e decidi dar uma caminhada pois já tinha entrado no dia anterior nas 40 semanas de gestação e a ansiedade já estava tomando conta de mim por inteira.
 Estava me sentindo ótima, apenas um cansaço fora do normal dominava o meu corpo, mas não julguei como fora do comum, pois na gravidez nos sentimos assim o tempo todo, especialmente na reta final.
Cheguei da caminhada, tomei um banho e comi alguma coisa, mas aquele cansaço estava me dominando.. sendo assim, resolvi dormir “uma horinha” que viraram 6 horas de sono sem intervalo.
 

“Parecia que meu corpo já estava me preparando sem eu mesma saber para as noites em claro que começariam no dia seguinte com a chegada do meu bebê.”

Quando acordei, por volta das 18:00, comecei a me arrumar, pois eu e meu marido tínhamos um jantar religioso na casa da minha mãe. Antes de entrar no banho fui fazer xixi e notei bastante sangue na calcinha e na privada.. como eu li e estudei bastante durante a gravidez, sabia que era o meu tampão mucoso que tinha descido, mas não liguei muito porque pode ser um sinal de que o trabalho de parto está para começar nos próximos minutos ou nos próximos dez dias!
 

Quando entrei no banho me veio uma dor fortíssima começando da minha lombar, tomando meu abdómen inteiro como uma onda e aos poucos essa onda ia voltando e a dor ia embora.
 Como nunca senti nada igual resolvi avisar ao meu marido e continuei fazendo minhas coisas normalmente para sair de casa. De repente outra dor ainda mais forte … e assim foi seguindo uma atrás da outra sem intervalos regulares como “devem ser” as contrações de parto.

Finalmente entre uma hora sentindo dores, parando para respirar e me apoiar em tudo que eu via na minha frente e me vestir ao mesmo tempo, estava pronta !
Seguimos andando até a casa da minha mãe que ficava a cinco minutos a pé da minha, porém dessa vez demoramos pelo menos meia hora pra chegar.
As dores estavam fortes demais e eu tinha que parar o tempo todo para me recompor delas. Por fim chegamos, minha mãe me viu daquele jeito e já sabia o que estava se passando, falou para o meu marido que não passaria daquele dia e então voltamos para a nossa casa onde eu esperei longas horas sentindo as contrações não ritmadas que já vinham de um em um minuto e estavam se tornando realmente insuportáveis.
 

Foi então que às 4:00 da manhã pedi para o meu marido que me levasse para o hospital.
Quando chegamos lá fui logo atendida pela plantonista que me fez o exame de toque. Eu já tava com seis cm de dilatação e logo me encaminharam pra sala de parto.
Eles me ofereceram a opção de receber epidural para amenizar a dor e eu resolvi aceitar.
Esperei os mais longos 40 minutos da minha vida até o anestesista chegar.
Um procedimento de epidural dura em média 15 minutos.
Infelizmente não conseguiam achar o ponto certo da minha coluna e fui furada 3 vezes somando um total de 45 minutos entre tentativas e finalmente o sucesso.Esse momento foi o mais difícil para mim porque tinha que ficar imóvel com pessoas me segurando e sentindo as contrações.
No final, quando a anestesia finalmente pegou já eram 7:00 da manhã. Vieram dois médicos em seguida estourar a minha bolsa e a essa altura eu já estava com 8,5cm de dilatação. Consegui então relaxar pela primeira vez e dormi cerca de um hora . Às 8:30 vieram fazer um novo exame de toque e eu estava com 10 cm. 

“Lembro de sentir uma pressão muito muito forte e uma vontade louca para fazer força.Meu marido segurou minha mão, minha mãe segurava meu cabelo e eu só empurrava. Não sabia da onde veio tanta força de dentro de mim depois de estar exausta de tanta dor.”

Depois de 15 horas e meia em trabalho de parto e 25 minutos de expulsão, às 8:56 da manhã do dia 15/04/2017 meu primeiro filho nasceu, parto normal, com 3.600 kg forte e saudável e junto com ele eu renasci como mãe.

 

Agradeço primeiramente D’s por me conceder essa dádiva e ao meu marido e minha mãe por terem estado ao meu lado do início ao fim. Sem eles, não teria conseguido vivenciar essa experiência maravilhosa e usar a dor não como minha inimiga, mas sim como minha aliada.

Ensaio de Gestante – As Melhores Dicas e Idéias de fotos para Gestante

ensaio de gestante em estúdio

A Gravidez é um momento único na vida da Mulher e nada melhor do que registrar esse momento lindo.

A Mulher Grávida, tem uma luz diferente. 

Quando eu fiquei grávida não existia uma pessoa que não passasse perto de mim e não sorrisse.

 

 Há relatos de Mulheres que se sentiram mais lindas, quando estavam grávidas, do que quando não tinham barriga. Simplesmente pelo fato de que, gerar um ser, é com certeza uma das coisas mais belas e incríveis que podem acontecer na vida de uma Mulher.

 

Então porque não registrar esse momento da melhor forma possível? Não é mesmo? 

 

 

 

ensaio de gestante

 

 

Meu Ensaio de Gestante em Estúdio

 

 Eu fiz o meu ensaio de gestante em Estúdio, e amei o resultado. As fotos ficaram lindas, do jeito que eu queria e imaginava.

 Eu, particularmente optei pelas fotos serem em Estúdio, pois moro no Rio de Janeiro, e sei que se fizesse as fotos em algum local aberto não iria ter suporte para trocar de roupa ou arrumar a maquiagem de forma confortável. Por isso optei pelo meu ensaio de gestante em Estúdio. 

Mas essa é uma escolha muito pessoal e vai do gosto de cada Mulher. 

 

 

 

gravidez ensaio fotográficofoto gestante 

 

 

 

Ensaio de Gestante em Estúdio – O que levar? 

 

1.Sutiã e Calcinha 

No dia do Ensaio, o ideal é que você leve pelo menos de 2 à 3 sutiãs de cores diferentes. 

Opte por cores neutras como: bege, preto e branco. 

O mesmo serve para as cores de calcinha, e se possível leve calcinhas que sejam sem linha, pois elas não marcam tanto na hora de colocar a Roupa.

 

2.Maquiagem

A maquiagem para esse tipo de Ensaio Fotográfico, vai da básica, do tipo “acordei e estou linda” até a mais Marcada, com olhos pretos esfumados.

A maquiagem irá depender do gosto de cada pessoa. Em alguns ensaios, a Maquiagem já está incluída dentro do Pacote, porém o ideal é que você leve a sua Make sempre, para que você possa fazer algum tipo de retoque, se for necessário.

 

3.Acessórios

Os acessórios complementam o look e são super importantes. 

Os brincos pequenos e delicados, são os mais usados para este tipo de foto, mas dependendo do seu look, você também pode ousar e colocar um “brincão”.

As Flores também são uma ótima opção para Ensaio de Gestante. Elas dão um ar de leveza e romantismo para as fotos e podem ser usadas de diversas maneiras, como nos cabelos por exemplo.

Os tecidos leves e esvoaçantes são perfeitos para dar um ar de leveza e feminilidade nas fotos. Você pode usar e abusar da criatividade, e são uma ótima opção para quem não quer investir comprando ou alugando Roupas só para fazer as fotos. ( Alguns fotógrafos disponibilizam as roupas, porém não são todos.)

ensaio de gestante, ensaio de gestante em estúdio, ensaio de gestante idéias

 

 

 O sapatinho do bebê é bem tradicional em fotos de Gestantes, e fica super fofo. Então no dia do seu Ensaio de Gestante, não se esqueça de levar o sapatinho do seu bebê e pedir alguns cliques com ele perto da barriguinha.

 

 

 

 

Ensaio de Gestante em Estúdio – Dicas

  

Ensaio de Gestante – Poses

É comum não ficarmos tão confortáveis de primeira,em fazer poses em uma sessão de fotos, principalmente se você nunca fez fotos antes.

 

Então a dica é procurar relaxar o rosto, e em vez de olhar para o fotógrafo de primeira, procure olhar para ângulos nas diagonais. 

 

 Quanto mais relaxada você estiver, mais natural a foto irá ficar. 

 

 Procure explorar todos os ângulos que você puder. Olhe para a diagonal, para cima, depois em um ângulo de 90 graus, e depois para baixo. Repita isso para os dois lados. Peça para ver  como estão ficando as fotos, não tenha vergonha. 

Após ver as fotos, você saberá qual ângulo ficou melhor e poderá explorar mais ele de outras formas. 

 

Lembre-se, fotos espontâneas são mais naturais e ficam mais harmoniosas. 

 

 Então na hora de fazer as fotos, pense em algo alegre, pense no momento em que você verá o rosto do seu bebêzinho pela primeira vez, e você terá fotos naturais e belíssimas!

 

A postura é outro ponto muito importante quando se trata de fotos. 

 

 

 

 

 E é muito comum, em ensaios de gestante, elas esquecerem desse detalhe,porque realmente chega um período em que as costas doem, as pernas incham e a coluna vai para o espaço. Porém é um detalhe que faz total diferença.

 

 Procure sempre estar com uma postura correta na hora de tirar as fotos. Ombros para trás e para baixo, coluna ereta,sem se curvar.

 

As pernas devem sempre estar mais fechadas do que abertas, pois a perna aberta encurta a pessoa, e diminui a sua estatura automaticamente. 

 

Enquanto a perna mais fechada, para fotos funciona muito bem, pois dá aquela impressão de alongada. A famosa perna “estou com vontade de fazer xixi” funciona super bem! 

 

 

E a última dica são os braços. O que fazer com os braços?

ensaio de gestante

 

 Geralmente a Mulher nesse tipo de foto quer mostrar a barriguinha, então a mão na cintura valoriza bem as curvas da mulher. Enquanto ao outro braço, procure explorar as suas partes do corpo, como cabelo, rosto , colo , e barriga. 

 

 Dessa forma, terá mil e uma opções de fotos lindas e provavelmente não saberá qual escolher,pois sairá uma foto mais linda do que a outra! 

 

 Gostou das dicas? Deixe a sua opinião nos comentários! Espero poder ter ajudado de alguma forma! 

 

E muito obrigada por ler esse post. 

 

Beijos, Deborah !

Relato de Parto – Cesárea

relato de parto

Muitas Mulheres sonham em ficar Grávidas. E quando ficam, sonham com o grande dia em que finalmente conhecerão o seu bebê.

 

 

O Parto é sem dúvida um dos Momentos mais marcantes e emocionantes na vida de uma mulher.

 E por esse motivo, o Parto deve ser estudado e planejado com antecedência.

 Serão meses esperando por esse grande Momento.

 E quando o tão esperado dia chega, vem com ele um misto de pensamentos, emoções, e experiências únicas. 

Cada Parto será diferente.

Então porque não compartilhar o seu Relato de Parto com outras pessoas e eternizar esse dia em palavras? 

 Relatos de Parto são textos de puro amor, e não existe nada mais lindo nesse Mundo do que poder reviver esse dia através de palavras.

 

 

 

 Meu Relato de Parto

 

 

Deborah – Meu Relato de Parto

Dia 25/10/2019

39 semanas+ 4 dias

Às 4:30 da manhã comecei a sentir cólica… Fui até o banheiro e notei que tinha no meu xixi um pouquinho de sangue, e naquela hora me passaram mil e uma perguntas na minha cabeça : Será que? Será que? 

Foi um misto de ansiedade e ao mesmo tempo “calma Deborah talvez não seja agora”. 

Então resolvi mandar mensagem para minha amiga Rachel, que já teve bebê e iria ser Mamãe pela segunda vez.

Mandei a foto do sangue para ela … (Tem que ser muito amiga, afinal, essas coisas não se mandam para qualquer uma, não é mesmo?) 

Ela logo me disse : “O meu foi assim, saiu o tampão mucoso e eu fui direto pro hospital ter o neném.“

Eu ri… ( nervosa por dentro) e tentei voltar a dormir. Mas…Era Impossível…as tais “cólicas“ foram piorando cada vez mais e eu não conseguia sair mais do banheiro.

Meu marido acordou e me disse “Deve ser só contração de treinamento “ ( ele jurava que o bebê só ia nascer em Novembro e não Outubro). 

Minha Mãe nesse dia tinha dormido aqui em Casa (aquela história que mães sentem né..) e logo disse pra ele: 

 

“ Ela vai ter hoje! Vamos para o hospital!”

 

 Para a minha surpresa e a deles, as contrações evoluíram muito rápido, mas eu queria mesmo assim aguentar o máximo de tempo que eu pudesse em casa, pois havia tomada a decisão de ter o bebê em uma Maternidade Pública, na esperança de ter um parto humanizado, natural e respeitado, já que todos os Médicos que eu fui desde que havia chegado no Brasil, eram cesaristas e me deixaram apavorada.

Fui para a Maternidade Leila Diniz (Maternidade Pública(SUS) localizada na Barra da Tijuca – RJ), e cheguei lá com 4 centímetros de dilatação.

Tive que esperar para ser internada, porque eles só internam se a Mulher estiver com 5 centímetros de dilatação ou mais. 

Esperei mais uma horinha, que para mim foi a horinha mais longa da minha vida, e quando me examinaram novamente estava com 6 centímetros, ufa que alívio! 

Fui internada, (amém) e foi quando eu comecei a praticar todas as posições que eu havia estudado… ( Eu sou bailarina, então tenho facilidade com movimentos e posições). 

A minha favorita sem dúvida era a agachada, no chão. Lá tinha cama, bola, uma outra cadeira… mas eu queria o chão, vai entender). 

Nessa hora eu já estava na Partolândia, eu e meu Marido, que aliás, foi incrível o tempo todo, me ajudou com as posições, me abraçava, me dava forças, me dizia o quanto eu era linda e forte… 

Ele ficou ali firme e forte, o tempo todo, comigo apertando a mão dele quase quebrando, e sinceramente acho que não existe nada mais gratificante do que ter o Pai do seu filho junto com você nesse momento.

Bom, eu não lembro muito bem de horários, porque a gente perde totalmente a noção do tempo… mas depois de umas 6 horas nessa tentativa, com chuveiro quente, exercícios, e diferentes posições, minha dilatação não havia evoluído, e a minha bolsa não havia estourado  – para o meu desespero. 

Então foi quando as enfermeiras me perguntaram se elas poderiam estourar( a bolsa ), para ver se o parto evoluía… Eu disse que sim, então elas estouraram … Logo em seguida, elas me perguntaram se podiam fazer alguns exercícios comigo, que por sinal, me faziam ir na lua e voltar de tanta dor, para ver se o bebê encaixava. 

 

 As minhas contrações depois disso dobraram…e eu berrava de dor, mas sempre que eu tinha uma, parecia que o bebê ia sair por cima e não por baixo de tão alta que a minha barriga ficava. 

 

 Mesmo com toda força do mundo para baixo, o bebê não encaixava, e eu já não tinha mais forças como antes. 

 

 Decidiram botar ocitocina com soro mais tarde. Foi quando o negócio pegou. Eu já não aguentava mais de tanta dor, e comecei a notar um líquido verdinho saindo ( mecônio ) e aquilo me deixou com muito medo, pois já tinha lido que aquilo poderia ser um sinal que o bebê poderia estar entrando em sofrimento.

Isso devia ser umas 8,9 da noite já, e naquele momento eu já não tinha mais forças, estava já meio inconsciente por não ter comido, e as dores eram muitas… e foi quando eu senti que ali, era meu limite.

E depois de quase 20 horas em trabalho de Parto, eu me rendi. Pedi uma Cesárea.

 O meu maior medo era esse, mas eu senti que meu bebê por mais que eu tentasse não descia… e então olhei o meu Marido e minha Mãe, que também não queriam uma Cesárea, mas viram o meu sofrimento e então ele me disse :

 

“Você é muito forte, vai dar tudo certo, vamos ver o nosso bebê em breve e esse sofrimento logo vai acabar”.

 

 O meu olho se encheu de lágrimas e eu sorri.

 Me mudaram para a sala de cirurgia, e foi quando me deram a anestesia, (e eu parei de sentir as dores ) e em menos de 20 minutos meu bebê estava em meus braços. 

 

 Ele nasceu às 10:37 da noite, e era lindo, saudável, perfeito, do jeitinho que eu sempre sonhei.

 

 E naquele momento, nada mais importava! É um sentimento que não cabe dentro da gente. É a maior emoção que com certeza eu já tive em toda minha vida. 

 E sei que nem sempre é como queremos, e que tudo está nas mãos de Deus. A teoria é uma, e a prática é completamente diferente. Eu só sei que fui até onde eu consegui ir e acho que isso é o mais importante. Cada mulher é diferente e cada uma possui o seu limite. 

Eu demorei para escrever esse relato, por estar muito fragilizada por não ter conseguido meu tão sonhado parto normal, mas é uma grande libertação para mim poder escrever e acredito que para muitas outras mamães também.  

gostaria de agradecer por você ter lido meu Relato de Parto.

Com carinho e amor, 

Deborah