Tudo o que não te contam sobre o Pós-Parto da Cesárea

POS PARTO CESÁREA

De acordo com estudos, o Brasil vem apresentando nos últimos anos uma das taxas mais elevadas de cesáreas do mundo.

“Muitos fatores apresentam-se relacionados a este fato e envolvem, principalmente, o aprimoramento da técnica cirúrgica e anestésica, a maior oferta de recursos propedêuticos indicando riscos para o feto, o aumento da incidência de gestações em pacientes com cesariana prévia, e fatores socioculturais relacionados à maior praticidade do parto programado.”

A questão é, muito se fala sobre o parto, porém pouco se fala sobre o que a mulher irá enfrentar no pós-parto.

Afinal, como é de fato o pós-parto da Cesárea?

 

Pós-Parto

O pós-parto é sempre uma fase delicada para nós Mamães, e exige muitos cuidados.

Sendo o suporte da família nesse momento, fundamental para uma boa recuperação da puérpera.

E quando se trata de um Parto Cesárea, o pós-parto pode ser mais delicado ainda, e irá exigir mais não só da Mãe, como do(a) acompanhante também.

Acredito que cada mulher tenha um processo de cicatrização e recuperação diferente, afinal são corpos, hábitos alimentares, estilo de vida, e saúde distintos, e por isso fica muito difícil compararmos umas às outras.

 

Minha experiência com o Parto Cesária

No meu caso, eu gostaria muito de ter tido um parto normal, e nem cogitava a possibilidade de ter um parto cesárea.

Por inúmeros motivos, mas principalmente por influência da minha Mãe Dulce, que teve dois filhos de parto normal, e apesar de “ter o quadril estreito” como ouço muitas pessoas dizendo ser um empecilho, teve dois partos vaginais sem muito problema. Além disso, por ser Bailarina Profissional e ter estudado todas as posições possíveis(e impossíveis) para um parto natural e humanizado, acreditei que comigo não seria diferente e não me preparei para um plano B, um parto cesárea, e acabei sendo pega de surpresa.

 

A minha dica:

Estudem todas as possibilidades de parto, tenham um plano A,B,C e se possível D, pois a gestação é marcada por muitas surpresas e o parto é só o começo de uma jornada que será para a vida inteira. Busquem informação sempre que for possível.

 

Leia também:

10 Dicas Simples de como ajudar uma Mãe de Primeira Viagem

Barriguinha dos Sonhos: Veja 4 Formas de Evitar Estrias durante a Gravidez

Mãe Empreendedora – 10 Idéias para você montar um Negócio e Trabalhar em Casa

Pós-Parto Cesárea

 

Tudo o que não te contam sobre o pós-parto cesárea:

1.A dor para se movimentar

Independente se você escolheu ter um parto cesárea ou não, a dor do pós-operatório é inevitável. Especialmente nas primeiras horas, quando é necessário amamentar, pois apesar de toda a ajuda que será oferecida, você ainda terá que descobrir a posição ideal para você e seu bebê naquele momento.

2.  O sono acumulado

O parto como o próprio nome já diz, é um processo longo e cansativo. É normal após uma cirurgia se sentir mais fraca e com sono devido às anestesias e ao processo em geral. Porém nesse caso, a Mãe não consegue descansar o suficiente, pois além de estar super ansiosa com a chegada do bebê, precisa amamentar, o que priva ela de dormir como deveria.

3.  A necessidade de uma rede de apoio

É fundamental que a puérpera que passou por uma cirurgia cesárea tenha uma rede de apoio. Se puder ter uma pessoa que ajude com o bebê e outra que ajude a Mãe melhor ainda. Os primeiros dias são muito difíceis para a Mãe, e simples coisas como ir ao banheiro, tomar banho e deitar na cama podem ser um pesadelo. Por esse motivo, toda ajuda nesse momento será bem vinda.

4.  Dor para amamentar

Além da Mãe de primeira viagem não ter experiência com a amamentação, ela possui uma cicatriz recente que exige muita cautela. A Mãe está em uma fase de aprendizado, assim como o bebê, e a busca pela posição perfeita será constante na hora de amamentar e isso muitas vezes poderá ser muito dolorido para ela, pois o movimento de ir para trás e para frente, que é um dos mais usados, exige muito do corpo da mulher naquele momento.

5. Inchaço na barriga

Ao contrário do parto normal, onde a barriga volta a forma “normal” mais rapidamente, a barriga da mulher que teve uma cesariana irá enfrentar um processo mais lento. No meu caso, só após 1 mês da cirurgia comecei a ver a minha barriga desinchando. Porém cada mulher terá um processo diferente.

6. Possíveis dores na lombar

De acordo com estudos, a cicatriz do parto Cesariana pode provocar dores na lombar.

“Existem três tipos de casos de dores lombares. No primeiro grupo estão a mulheres que já têm dores lombares no processo de gravidez, que se intensificam com a aderência das cicatrizes causadas pela cesária. Outro grupo é formado por mulheres que, depois do processo de cesariana, desenvolvem dores somadas pelo carregamento dos bebês, forma incorreta de postura na amamentação, colocação no berço, que forçam mais as costas, que ficam sobrecarregas. E por fim, existem as mães que, passado todo este processo, ela começa a sofrer as influências das cicatrizes três meses após a cesárea, com o aparecimento de dores lombares com ou sem irradiação para as pernas.”

 

Leia também:

10 Dicas Simples de como ajudar uma Mãe de Primeira Viagem

Barriguinha dos Sonhos: Veja 4 Formas de Evitar Estrias durante a Gravidez

Mãe Empreendedora – 10 Idéias para você montar um Negócio e Trabalhar em Casa

 

Veja o vídeo relacionado ao mesmo assunto:

No vídeo de hoje, temos uma convidada mais que especial, que é a minha Mãe Dulce (ela acompanhou todo o processo de pertinho) e juntas nós explicamos como foi o meu pós-parto, damos dicas para as Mamães, além de contar todos os desafios enfrentados durante essa fase. Espero que esse vídeo possa clarear a mente de vocês e ajudar de alguma forma. Não perca e compartilhe com outras Mamães! Assista!

E não esqueça de se inscrever no nosso Canal, (você estará nos ajudando muito!) e ativar o sininho de notificações para ficar por dentro dos próximos vídeos!

 

CLIQUE NO PLAY E VEJA> RECUPERAÇÃO DO PÓS-PARTO CESÁREA – TUDO O QUE VOCÊ PRECISA SABER!

 

Gostou do post? Deixa um comentário eu vou adorar te responder.

Beijos,

Deborah